Banca de DEFESA: NEREIDE SANTOS LISBOA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NEREIDE SANTOS LISBOA
DATA : 11/12/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Campus Paulo Freire - Sala 07 - Link: https://mconf.rnp.br/webconf/cpf-1
TÍTULO:

FATORES EPIDEMIOLÓGICOS E SOCIOAMBIENTAIS DO ESCORPIONISMO NO EXTREMO SUL DA BAHIA


PALAVRAS-CHAVES:

Escorpionismo; Tytius; Epidemiologia Descritiva; Doenças Negligenciadas; Vulnerabilidade Sociambiental.


PÁGINAS: 69
RESUMO:

Introdução: O escorpionismo constitui-se um sério problema de saúde pública no Brasil e no mundo nos últimos anos. São reconhecidos como escorpiões de importância médica na Bahia os pertencentes ao gênero Tityus, em especial duas espécies: Tityus serrulatus, e Tityus bahiensis, sendo o primeiro responsável pelos acidentes mais graves. Estudos epidemiológicos e índices de vulnerabilidade socioambiental têm sido utilizados com o objetivo de avaliar os contextos socioambientais urbanos e ameaças à saúde, visando melhor compreender a relação saúde-doença. Objetivo: O estudo tem como objetivo apresentar uma análise epidemiológica e relacioná-la com fatores associados à gravidade do escorpionismo, bem como propor e testar um Índice de Vulnerabilidade Socioambiental (IVSA) a acidentes escorpiônicos. Método: Foi realizado estudo epidemiológico descritivo ecológico bem com cálculo da incidência, letalidade e Odds ratio para fatores associados a gravidade, georreferenciamento e análise espacial, utilizando-se de dados do Censo Demográfico do IBGE-2010 dos acidentes escorpiônicos notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação, no período de 2010 a 2017 no Extremo Sul da Bahia. Utilizou-se para tabulação dos dados e análises os softwares TabWin32 3.6b, Microsoft Excel 2010, a calculadora Excel para tamanhos amostrais e estatísticos e software QGIS versão 2.18 na confecção dos mapas. Resultado: As maiores incidências de acidentes escorpiônicos ocorreram nos anos de 2014 e 2017 e nos municípios de Lajedão e Medeiros Neto. Nesse período ocorreram 10 óbitos. Maior concentração de acidentes na zona rural (62,5%), excetuando-se a Teixeira de Freitas, a cidade mais urbanizada da região; em homens (70,1%), faixa etária 20-49 anos (51%), alfabetizados (51,5%), negros (84%) e com baixa relação laboral (22,6%). A região do corpo mais afetada foi a mão (61,9%), com predomínio de casos leves (82,8%), sintomas locais (92,1%). Os quadros graves acometem três vezes mais pessoas menores de 15 anos (p<0,001). Analisando-se as ocorrências de escorpionismo urbanas na cidade de Teixeira de Freitas, onde foi aplicado um índice de vulnerabilidade socioambiental, evidenciou-se que a vulnerabilidade aos acidentes está ligada à baixa condição socioeconômica; e quanto mais vulnerável está a população, maior é a frequência de acidentes escorpiônico. Conclusão: houve aumento do escorpionismo e predomínio dos casos na zona rural, crianças e sexo masculino. O mesmo se constitui em um grave problema de saúde pública na região do Extremo Sul da Bahia. Estão relacionadas às baixas condições socioeconômicas, tanto no ambiente urbano como rural, ensejando ações de capacitação e vigilância para diminuir a epidemia. O IVSA pode ser uma ferramenta útil, versátil e de baixo custo financeiro para o planejamento das estratégias de políticas públicas mais eficazes.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1212769 - JANE MARY DE MEDEIROS GUIMARAES
Interno - 1041340 - LEONARDO EVANGELISTA MORAES
Externo ao Programa - 1962065 - LINA RODRIGUES DE FARIA
Presidente - 1189312 - VANNER BOERE SOUZA
Notícia cadastrada em: 02/12/2019 15:46
SIGAA | Pró-Reitoria de Tecnologia de Informação e Comunicação -   | Copyright © 2006-2020 - UFSB - e33c4dc5c916.inst1